Guaraqueçaba - PR

Guaraqueçaba - "lugar onde dormem os guarás ", da língua tupi. Lugar excelente de se ir mas, tem que ter disposição pois, para quem está do lado de cá, é complicado chegar até lá. Por terra, são ~ 100 Km de estrada de terra a partir de Morretes. Na época da chuva, complica muito - lá sempre chove! Por mar, tem mais graça (Minas tem estradas de terra mas não tem mar...) mas, também requer uma certa dose de disposição, daquele tipo que só quem está afim de achar grandes (e pouco conhecidas) locações vai atrás. Até algum tempo atrás, a melhor opção era descer de trem (trens da ALL com passagens vendidas pela Serra Verde Express) de Curitiba direto para Paranaguá. No entanto, essa opção não mais existe. Pode-se ainda, no entanto, ir de Curitiba a Morretes de trem (e vale a pena fazer isso!) mas, de Morretes a Paranaguá, tem que ser de ônibus ou carro - aprox. 40 Km. Em Paranaguá, deve-se tomar um barco de linha regular para Guaraqueçaba, na Rua da Praia, em frente ao Mercado Antigo de Paranaguá - aprox. 2,5 horas no mar, com saídas diárias às 9:00 h. Seguindo a segunda opção, fica-se sem carro em Guaraqueçaba. Isso atrapalha explorar parte da região (Salto Morato, por exemplo), mas não compromete a mobilidade entre as ilhas e na cidade. Embora não haja locadora de veículos lá, alguns barqueiros aluguem seus carros particulares por dia. Seguindo a opção da estrada de terra, tem-se o carro, mas perde-se o passeio de barco Paranaguá-Guaraqueçaba.

Para ficar em Guaraqueçaba, uma dica é o hotel do ˜Sr. João Amadeu" - Rua Ferreira Lopes, 143. Não é um espetáculo, mas atende bem e pode-se contratar o próprio como guia para uma RPPN dele (Reserva de Sebuí) onde tem quatro cachoeiras maravilhosas e quase intocadas - duas de difícil acesso. Na praça principal - onde está o trapiche que recebe os barcos que vêm à cidade - tem a Pousada Biguá e o Hotel Eduardo I. Não conheço ambos, mas olhando da rua, parecem OK. Enfim, tem que testar ...

O que tem para se fotografar? Seascapes, golfinhos, bandos de guarás, vegetação típica de Mata Atlântica, a cidade tem um mirante logo perto da praça central, as casas típicas de região, se tiver sorte uma festa de fandango, Salto Morato e as ilhas próximas - Ilha das Peças e Superagui. Essa última, parte do Parque Nacional de Superagui. A ilha de Superagui é o único local onde, com sorte, técnica e persistência, pode-se fotografar o Mico-Leão-da-Cara-Preta, em extinção. Na ilha vizinha - Ilha das Peças - a oportunidade é o Papagaio-de-Cara-Roxa, também em processo de extinção. O parque, a região, o mico e o papagaio estão em um dos livros do Araquém Alcântara. Já li, mas não me recordo qual.

Golfinhos próximos à Ilha das Peças

Outra opção muito boa e imperdível é visitar a Reserva de Salto Morato da Fundação Boticário. Só essa visita já vale ir a Guaraqueçaba. Na reserva existem duas trilhas abertas ao público - da Figueira - (que leva a uma figueira linda, às margens de um riacho que se percorre andando dentro dele!) e outra - Salto Morato - que leva a uma cachoeira de tirar o fôlego, pela altura da queda d'água. Existe uma terceira trilha - Bracinho - mas ela nem sempre está aberta ao público. Na trilha de Salto Morato pode-se andar sem guia, o que permite se esperar o momento certo para a foto. A reserva tem infraestrutura completa de camping e ficando lá, não precisa sair antes da hora mágica.

Uma alternativa também interessante é se hospedar na Ilha de Superagui e usá-la como base para fotografar as demais. As acomodações são bem mais modestas, mas o contato com o mar e natureza é bem mais intenso do que ficando em Guaraqueçaba. De interessante nessa ilha, também, é a pesca de tainha que é feita com tarrafa, feita da areia da praia, em "parceria com os golfinhos" - tem que ver para acreditar !

Se não gostar do que viu, tem uma excelente opção perto: Ilha do Mel. Boa sorte !

Dicas de guias na região: Renato - renatocaissara@yahoo.com.br (Ilha das Peças) e Luis Laufer (Papa-Léguas) - barqueiro - https://www.facebook.com/luiz.laufer.3 (barqueiro)