Zenfolio | Longínqua Imagens | Limpeza de filtros e lentes

Limpeza de filtros e lentes

December 18, 2013  •  Leave a Comment

Durante muito tempo eu procurei na internet por informações sobre limpeza do equipamento fotográfico; lentes, principalmente. Hoje, eu "estabilizei" no seguinte conjunto de limpeza: pano de microfibra, caneta Lenspen, blower ("bombinha fuck-fuck", como alguns gostam de dizer) e pincel de seda. E é justamente sobre esse item, ao qual, em todos os lugares que o vi mencionado, os autores o referem-no como "pincel macio" (OK, concordo. Mas o que é pincel macio, tecnicamente falando?), é que eu gostaria de comentar hoje mas, não sem antes, me obrigar a algumas digressões.

Pois bem; o meu procedimento de limpeza (particular, que é adequado ao meu equipamento, a como eu gosto de cuidar dele e ao meu fluxo de trabalho e que, não necessariamente serve para outros fotógrafos), ao chegar em casa depois de algumas fotos externas é, basicamente, o seguinte, assumindo que eu voltei com a lente com parassol e tampa e instalada na câmera:

  1. calço um par de luvas brancas de tecido;
  2. retiro a lente da câmera e coloco tampa na câmera;
  3. coloco a tampa traseira da lente;
  4. sopro todo o corpo da lente com o blower, com cuidado dobrado quando seu corpo se estende externamente com o aumento do zoom;
  5. com o pano de microfibras, limpo toda a lente - quando ela se estende externamente, limpo seu corpo com ela estendida e retraída;
  6. retiro as duas tampas e, quando possível, o parassol da lente, não necessariamente nessa ordem;
  7. com o blower, sopro as tampas e o parassol e os limpo com o pano de microfibras. Sopro novamente, tudo, com o blower.
  8. com o blower, sopro a parte de trás da lente tomando o cuidado de observar (antes!) se existe vidro entre o encaixe da lente e as lâminas do obturador - na Nikkor 300 mm f/4.0, por exemplo, não há. Nesse caso, sopro o mínimo, com extremo cuidado e evito fazer isso, ao máximo.
  9. coloco a tampa na parte de trás da lente;
  10. com o blower, sopro a parte da frente da lente várias vezes, pressionando-o com muita força para tentar produzir um fluxo intenso de ar intenso;
  11. com o pincel de seda, limpo a parte da frente da lente, em movimentos radiais, sempre do centro para o perímetro da circunferência da lente;
  12. inspeciono visualmente a lente no sol, olhando-a em um ângulo de aproximadamente 45º, para ver se existe algum ponto de incrustação de sujeira - impressões digitais, principalmente;
  13. se existirem resíduos indesejáveis a serem retirados, com o blower sopro novamente o local e removo a sujeira com o disco de carvão ativado da Lenspen. Sobre como usar corretamente a Lenspen, não tente reinventar a roda. Vá direto ao site da Lenspen e assista o filme;
  14. com o blower, sopro novamente a parte da frente da lente várias vezes, sempre pressionando-o com muita força para tentar produzir um fluxo intenso de ar. Dessa vez, o objetivo é retirar as partículas de carvão ativado que se soltaram sobre a superfície da lente na limpeza com a Lenspen;
  15. Novamente, inspeciono a lente no sol, como feito anteriormente;
  16. coloco o parassol e a tampa na parte da frente da lente, podendo inverter essa ordem, dependendo como a lente foi projetada e construída. Agora ela pode ser deixada em repouso sobre uma superfície estável enquanto se limpa o resto do equipamento;
  17. segundos antes de colocá-la na prateleira do meu dry box, retiro o parassol (quando possível) e as tampas e guardo tudo numa gaveta do armário.

PS-1: essas luvas evitam que ao terminar o seu trabalho, o corpo da lente ou câmera estejam com suas digitais ou que a perspiração, ou, umidade da mão (que se desenvolve facilmente quando você lembra quanto lhe custou o que você está manuseando!), impregne a lente ou o corpo da câmera. Encontrar essas luvas pode dar trabalho mas, vale a pena. Em cidades pequenas é comum encontrá-las em lojas de miudezas para costura. Em cidades grandes, em lojas de materiais para segurança do trabalho. Atualmente eu uso uma de algodão/helanca/poliester, marca Seiki, ref. 4300.00, tamanho M - para quem gosta de trabalhar com segurança, essa luva tem CA!

PS-2: eu não uso o pincel da Lenspen, à exceção de quando estou no campo, fotografando. Em casa, nunca.

PS-3: se for comprar um rocket blower, compre dois Giottos, pelos seguintes motivos: 1)- Giottos param em pé, outros não; 2)- blower tamanho médio é perfeito para o trabalho de campo, mas é fraco para limpeza em casa; 3)- blower tamanho grande é perfeito para limpeza em casa (principalmente quando você pira e resolve dar uma "limpeza geral" no arsenal), mas é ruim de carregar no trabalho de campo.

PS-4: eu nunca uso latas de ar comprimido. Minha experiência como químico analítico me diz que raramente, algo barato como uma lata de ar comprimido vai ter lá dentro um fluido de qualidade - i.é, ~100% isento de umidade e óleo. Não conheço as especificações, mas simplesmente não confio e não gosto do fato de não ter certeza sobre a pressão de saída do ar.

PS-5: Rocket blower's (e blowers em geral) ficam velhos pela degradação da borracha e começam a projetar sujeira nas lentes (e nos sensores !!!!!!!). Eu sempre testo antes de usar soprando em uma folha A4 branca. A Giotto tem uma recomendação de armazenamento no blister onde ele vem. Eu sempre a sigo. Se acontecer com os seus, jogue-os fora e compre novos.

PS-6: quando existem filtros nas lentes, sempre que necessário, em função da condição de uso anterior e do local onde estive, eu os removo e limpo-os tal e qual fiz com a lente. Dependendo do tipo de filtro, guardo-os em uma bolsa para filtros Tamrac, atarracho-os de volta na lente ou, dependo de onde estou indo fotografar, guardo-os na caixinha plástica original já que ela, por ser menor e pequena, é mais fácil de carregar.

PS-7: Sempre que possível, tento comprar o Lenspen que é vendido pela Nikon. É OEM da LensPen, sem dúvida mas, apesar de custar um pouco mais caro, mas o kit é legal e, penso, a Lenspen aumenta o QC quando se trata de atender às especificações do cliente Nikon.

Com relação ao pincel de limpeza de lentes (tente comprar um com essa especificação, em qualquer loja do mundo e depois me conte), eu encontrei um que considero excelente e que uso em casa ou, às vezes, levo em na mochila, quando em viagem. É um pincel chato, utilizado para pintura em tecidos, cerâmica, etc., vendido em lojas de materiais para pintura e artesanato. A marca é Condor, linha Konex, ref. 424, tamanho 24. Além de ser muito macio e flexível, seus 24 mm de "frente de trabalho" facilitam muito a limpeza. Com um pouco de sorte, quando for comprá-lo, a vendedora vai se lembrar de lhe dar o tubo plástico incolor deslizante que se move sobre o corpo do pincel encobrindo as cerdas e que ajuda (em muito) a protegê-las, preservar a eficácia da limpeza e, principalmente, limitar a área exposta das cerdas, de tal forma que, se você, eventualmente, se descuidar na limpeza, a parte do pincel que vai tocar a lente (ou o filtro) vai ser aquela feita de plástico e não de metal. Percebeu o detalhe?

PS-8: apesar de chama-lo por "pincel de seda", as cerdas são de nylon e o cabo de madeira.


Comments

No comments posted.
Loading...